Um furacão chamado Fátima Bezerra

A senadora Fátima Bezerra (PT-RN), desde que eleita em 2003 para o Congresso Nacional, vem demonstrando ser um verdadeiro furacão, causando mais danos a sociedade brasileira do que todas as catástrofes naturais no mesmo período.

Foi sustentação do governo mais corrupto da história mundial, atuou e atua para que o aparelhamento da máquina estatal seja total afim de que tenha o total poder sobre as instituições e, consequentemente, perpetuar o seu partido no poder.

Durante a década de 90, assim como todo o Partido do Trabalhadores, levantou a bandeira da ética e do combate ao mau uso da máquina pública, contudo, como haviam alertado o General Figueiredo e o Ronaldo Caiado na década de 80, assim que esse partido [PT] chegasse no poder teríamos o total desastre da nação brasileira, e que o discurso da ética ficaria claro que nada mais era do que uma mera bandeira aparente.

Contudo o que me deixa preocupado é uma certa omissão da imprensa, principalmente do estado pela qual Fátima Bezerra é senadora, em eximi-se de relatar a verdadeira faceta da parlamentar petista.

Em 2008 recebeu, através do PMDB do RN, a quantia de R$ 125 mil, declarados, mas ilícitos para financiar sua mais amarga derrota eleitoral quando tentou, pela última vez, ser prefeita de Natal, mas perdeu no primeiro turno.

Em 2015 foi noticiado que a Andrade Gutierrez e Engevix Engenharia, empreiteiras envolvidas até o pescoço em pagamento de propinas para políticos,  repassaram R$ 475 mil e R$ 50 mil a campanha de Fátima Bezerra ao senado em 2014, respectivamente.

Neste ano, novamente Fátima Bezerra vira notícia no cenário nacional quando é citada como a maior beneficiadora dos pagamentos da JBS, aquela dos irmãos Batista, no Rio Grande do Norte com mais de R$ 1 milhão recebidos para financiar sua campanha em 2014.

Como se ainda fosse pouco, em uma atitude totalmente antidemocrática e tenebrosa, a senadora Fátima Bezerra ocupa a mesa do plenário do Senado Federal impedindo, em vão, que a Reforma Trabalhista fosse votada. Não adiantou muito. A única coisa que sobrou dela foi o registro tenebroso do seu gesto selvagem e animalesco de se alimentar.

Essas denúncias e suspeitas merecem a devida cobertura de qualquer órgão da imprensa.

Antes fosse somente isso: a senadora votou contra a PEC 55/2016 que estabelecia um regime de Responsabilidade Fiscal mais austero afim de evitar os crimes que a ex-presidente Dilma Rousseff havia cometido no decorrer do seu mandato.

Votou contra a Reforma Trabalhista que estabelecia liberdade para o empregado e geração dos empregos que foram destruídos pelo PT.

Votou contra a PLS 131/2015 que desobriga a Petrobras a ter que participar em, no mínimo, 30% da exploração e produção em todos os poços de pre-sal, ou seja, para Fátima a Petrobras tem, mesmo que sem condições financeiras para isso, ter que participar de um negócio de caráter duvidoso. Novamente contra a responsabilidade fiscal com o dinheiro do contribuinte.

Votou a favor da PLS 555/2015 que facilitava a indicação de políticos e sindicalistas para cargos de diretoria nas estatais do Brasil.

Votou contra a urgência do projeto de lei que acaba com o sigilo bancário das operações de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), ou seja, ela votou para adiar a abertura da caixa preta do BNDES e assim todo o Brasil descobrir para onde tem sido enviado o suado dinheiro dos contribuintes.

Como se tudo isso ainda fosse pouco, Fátima Bezerra figura entre AS PIORES senadoras do Congresso, segundo o Ranking dos Políticos (www.politicos.org.br)

Add comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *